Sobre o relatório

Para a definição do conteúdo do Relatório Anual de Sustentabilidade 2011, a Itaúsa desenvolveu um processo de materialidade com as seguintes etapas: a análise do Relatório Anual de Sustentabilidade Itaúsa 2010 e da apresentação feita, em novembro de 2011, pela Itaúsa na reunião pública em parceria com a Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec); recebeu sugestões dos gestores e CEOs das empresas do Conglomerado Itaúsa com os temas que seriam relevantes para o relatório da holding; e, por fim, a realização do Diálogo com Especialistas, em 31 de janeiro de 2012, que concluiu um processo consistente e inovador de materialidade na organização.

Pelo terceiro ano consecutivo, a Itaúsa – Investimentos Itaú S.A. (Itaúsa) publica seu relatório anual de sustentabilidade com base nas orientações da Global Reporting Initiative (GRI), versão 3.1, que tem por objetivo comunicar os resultados da gestão do Conglomerado Itaúsa aos seus públicos estratégicos.

As informações apresentadas abrangem os resultados de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2011 e trazem os desempenhos da Itaúsa, em sua atividade de holding pura, e os resultados econômicos, sociais e ambientais obtidos no período como controladora das empresas Itaú Unibanco Holding S.A., no setor financeiro, e Duratex S.A., Elekeiroz S.A. e Itautec S.A., no setor industrial. GRI 3.1 GRI 3.6 GRI 3.7 GRI 3.8

Para a definição do conteúdo do Relatório Anual de Sustentabilidade 2011, a Itaúsa desenvolveu um processo de materialidade em seis etapas que envolveram diversos públicos da sociedade. O conteúdo apresentado levou em consideração os temas relevantes identificados na materialidade e sua distribuição está descrita no Índice remissivo deste relatório.

A principal mudança no escopo da publicação é a abordagem em relação a holding e sua atuação junto às controladas. Com a materialidade, o conteúdo passou a refletir o papel da Itaúsa como controladora e os resultados de sua atuação na orientação dos negócios das empresas do Conglomerado Itaúsa. Governança corporativa é, portanto, o tema central que conduz a narrativa dos desempenhos da Itaúsa em 2011. O relatório também segue a nova versão de indicadores da GRI 3.1. GRI 3.11

A presente publicação atende ao nível de aplicação A+, de acordo com a declaração de exame emitida pela Global Reporting Initiative (GRI). O conteúdo das informações de sustentabilidade e das informações das demonstrações contábeis, foram auditadas pelos auditores independentes da PricewaterhouseCoopers (PwC), que emitiram o "relatório de asseguração" e o "relatório sobre as demonstrações contábeis", respectivamente. As demonstrações contábeis disponibilizadas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), na BM&FBOVESPA e no site www.itausa.com.br, contemplam o padrão internacional de reporte International Financial Reporting Standards (IFRS). Não houve reformulações de informações de relatórios anteriores. GRI 3.9 GRI 3.10 GRI 3.13

Desde 2000, o relatório é apresentado anualmente. A partir desta edição, ele deixará de ter sua versão impressa, em mais uma demonstração do compromisso da Itaúsa com a sustentabilidade na condução de suas atividades. Com duração de quatro meses, o processo de elaboração deste documento contou com a dedicação de diversos colaboradores das empresas do Conglomerado Itaúsa, responsáveis pela apuração e validação das informações. GRI 3.3

Informações adicionais ou esclarecimentos sobre este relatório podem ser encaminhados para os seguintes canais de comunicação: pelos sites www.itausa.com.br e www.itauunibanco.com.br/ri, via página Fale Conosco, ou para os e-mails: comunicacao.corporativa@itausa.com.br, investidores@duratex.com.br; sustentabilidade@elekeiroz.com.br, e sustentabilidade@itautec.com. GRI 3.4

>> voltar ao topo