Para dar suporte ao processo de diversificação, foi contratado o serviço de consultoria especializada em mapear oportunidades de investimento no mercado e detectar os potenciais bolsões de crescimento. Entre os setores identificados nesse estudo, foram priorizados os que apresentam baixo risco de execução, companhias sólidas, com boa geração de fluxo de caixa, histórico consistente de resultados, rentabilidade ajustada ao risco similar à apresentada no segmento financeiro e boa perspectiva de criação de valor. Marca forte e posição relevante de mercado são diferenciais. São selecionadas empresas no Brasil, com baixo risco regulatório e baixa correlação com o setor financeiro. Adicionalmente, são avaliados sócios adequados a cada negócio, com experiência no respectivo setor e reputação ilibada. As transações devem ser relevantes, com investimento mínimo de R$ 1 bilhão. A Itaúsa considera fundamental participar do bloco de controle e fazer parte do acordo de acionistas.

Para subsidiar a identificação de investimentos com o perfil desejado, assim como as decisões relacionadas a desinvestimentos, e dar suporte às empresas do portfólio na execução de suas estratégias, a estrutura da Itaúsa conta com a Diretoria de Novos Negócios. Com equipe de profissionais especializados, a área se reporta à Diretoria Executiva e está alinhada ao modelo de atuação da Companhia e tem como objetivo a gestão mais ativa do portfólio. No melhor interesse de seus acionistas, a Diretoria de Novos Negócios acompanha as atividades de fusões e aquisições do setor não financeiro das investidas.



Duratex  


Setores nos quais a Itaúsa pretende investir

  • Com baixo risco de execução.
  • Que reúnem companhias sólidas.
  • Com boa geração de fluxo de caixa.
  • Que apresentem histórico consistente de resultados.
  • Com perspectiva de agregação de valor.
  • Que integrem marcas fortes.
  • Com posição relevante de mercado.
  • Com rentabilidade similar à do segmento financeiro.

  Itaú Unibanco


A assertividade da Diretoria de Novos Negócios também é ampliada pela assessoria de empresas externas na análise de oportunidades com maior grau de especificidade. É adotada ainda análise de sensibilidade das premissas do projeto, o que inclui o cenário econômico, para fins de valuation.

Após a aprovação do projeto, a Itaúsa coordena o processo de due diligence financeira, jurídica, contábil e fiscal, com apoio de assessorias contratadas. Nesse processo, são analisados em detalhe aspectos referentes à estrutura da transação e a potenciais impactos fiscais, assim como a melhor forma de pagamento. São realizados testes, revisões e análises que abrangem demonstrações financeiras e avaliação de riscos associados às contingências tributárias, previdenciárias, trabalhistas, ambientais, cíveis e regulatórias. 102-29

Para dar suporte à gestão mais ativa e ao novo momento da Companhia, a Itaúsa possui uma área de monitoramento de investimentos, que tem por objetivo certificar-se de que o desempenho das investidas está alinhado aos resultados esperados. O processo ocorre por meio de análises financeira e operacional, em conjunto com métricas de geração de valor que consideram o custo de oportunidade do capital investido.

Com base nessas premissas, a Itaúsa realizou dois investimentos em 2017, com a aquisição de 7,65% no capital da Nova Transportadora do Sudeste S.A. (NTS), na qual possui representante no Conselho da Administração; e de 27,12% no capital da Alpargatas, com controle compartilhado com a BW e Cambuhy, em razão da associação bem-sucedida com a família Moreira Salles no controle do Itaú Unibanco, que completará uma década em 2018.

Novos Negócios – originação de investimento

 

Cenário econômico

No cenário doméstico, o PIB cresceu 1,0% em 2017. Esse resultado configura uma melhora em relação ao observado entre 2015 e 2016, anos marcados por contração da economia.

Em relação ao mercado de trabalho, a taxa de desemprego medida pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua) atingiu 12,4% no trimestre terminado em dezembro de 2017, ante 12,7% no mesmo período do ano anterior. Na margem, observa-se uma queda do desemprego, mas devida ao aumento da população ocupada por conta própria ou sem carteira assinada.

A produção industrial cresceu 2,4% em 2017, após recuo de 6,4% em 2016. Prospectivamente, projetamos continuidade da recuperação da indústria, consistente com queda dos juros e ajustes no balanço das empresas.

A variação anual do saldo de crédito do sistema financeiro foi de -3,5% em dezembro de 2017, em termos reais, contra um recuo de 9,2% no mesmo mês de 2016. As concessões acumuladas em 2017 ficaram estáveis em relação ao ano anterior, em termos reais, contra uma queda de 16,1% em 2016. A taxa de inadimplência do crédito para Pessoa Física recuou 0,4 p.p. nos últimos 12 meses para 3,6% em dezembro de 2017. A inadimplência para Pessoa Jurídica recuou para 2,9% (3,5% em dezembro de 2016).

A inflação medida pelo IPCA atingiu variação de 2,9% no ano fechado de 2017, bem abaixo dos 6,3% registrados no ano anterior. Em termos desagregados, os preços administrados subiram 8,0% no período, enquanto os preços livres, 1,3%.

A inflação corrente abaixo da meta e a atividade aquém do esperado têm permitido a flexibilização da política monetária. Em outubro de 2016, o Banco Central do Brasil (Bacen) iniciou um ciclo de cortes de juros e, desde então, a taxa Selic foi reduzida de 14,25% para 7,0% em dezembro de 2017.

Essas medidas que vêm sendo adotadas pelo governo, somadas à melhora do cenário atual e às boas perspectivas para os próximos anos, reforçam a estratégia da diversificação adotada pela Companhia e estão alinhadas aos novos investimentos feitos e planejados.

Brasil
  2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018P 2019P
Atividade econômica
Crescimento real do PIB (%) 1,9 3,0 0,5 (3,5) (3,5) 1,0 3,0 3,7
Crescimento real da produção industrial (%) (2,3) 2,1 (3,0) (8,2) (6,4) 2,4 5,8 5,2
Taxa nacional de desemprego – fim do ano (com ajuste sazonal) 7,5 6,8 7,1 9,6 12,7 12,4 11,7 10,7
Inflação
IPCA (%) 5,8 5,9 6,4 10,7 6,3 2,9 3,5 4,0
IGP-M (%) 7,8 5,5 3,7 10,5 7,2 (0,5) 3,8 4,2
Taxa de juros
Selic – final do ano (%) 7,2 10,0 11,7 14,2 13,7 7,0 6,5 8,0
Balanço de pagamentos
BRL/USD – final de período 2,0 2,3 2,6 3,9 3,2 3,3 3,2 3,3
Balança comercial (USD bi) 19 2 (4) 20 48 67 55 42
Conta-Corrente (% do PIB) (3,0) (3,0) (4,2) (3,3) (1,3) (0,5) (1,5) (2,2)
Investimento direto no País (% do PIB) 3,5 2,8 3,9 4,2 4,4 3,4 3,9 3,5
Reservas internacionais (USD bi) 379 376 374 369 372 382 382 382
Finanças públicas
Resultado primário (% do PIB) 2,2 1,7 (0,6) (1,9) (2,5) (1,7) (1,9) (0,9)
Resultado nominal (% do PIB) (2,3) (3,0) (6,0) (10,2) (9,0) (7,8) (7,0) (5,6)
Dívida pública bruta (% do PIB) 53,7 51,5 56,3 65,5 70,0 74,0 74,2 74,0
Dívida pública líquida (% do PIB) 32,3 30,6 33,1 36,0 46,2 51,6 55,2 56,6

Fonte: FMI, Bloomberg, IBGE, BCB, Haver e Itaú Unibanco.
Data-base das projeções: 9 de março de 2018.

Composição dos investimentos

A estratégia de diversificação adotada pela Itaúsa já resultou em importantes alterações no seu portfólio de investimentos no setor não financeiro. O investimento no Itaú Unibanco permanece relevante no portfólio da Companhia.

 Valor de mercado

* Corresponde às participações direta e indireta no capital do Itaú Unibanco. Valor contábil do investimento na NTS.

Expectativa de retorno e criação de valor das novas investidas

  Nova Transportadora
  do Sudeste (NTS)

O investimento na NTS, feito em abril por meio de consórcio liderado por investidores institucionais, que adquiriu o ativo da Petrobras, foi contabilizado na rubrica “Ativos disponíveis para venda” e já resultou no recebimento, pela Itaúsa, em 2017, de cerca de R$ 172 milhões em dividendos e Juros sobre Capital Próprio (JCP) líquido, mais R$ 31 milhões líquidos referentes a juros das debêntures. Esse retorno está alinhado às expectativas da Companhia.

A aquisição da Alpargatas, em associação com a BW e Cambuhy, da família Moreira Salles, representa grande oportunidade de crescimento, principalmente internacional. No período de due diligence da empresa, além da possibilidade de expansão da marca Havaianas nos principais mercados no exterior, em especial nos Estados Unidos, foram identificadas oportunidades de reforço da marca nacionalmente, com ampliação de market share e sua extensão para outras categorias de produtos, além das sandálias; aumento da ocupação das unidades fabris, com consequente diluição dos custos fixos; redução das despesas e melhorias operacionais; aumento da participação da marca Mizuno (calçados esportivos) no mercado e aceleração do processo de nacionalização dos produtos da marca; aperfeiçoamento da operação da marca Osklen; avanços em relação ao e-commerce; e desenvolvimento da estrutura e das práticas de governança corporativa, como a criação de comitês internos e a reforma do Estatuto Social. Desde setembro até o encerramento de 2017, a Itaúsa recebeu da Alpargatas proventos (JCP) líquidos de R$ 35 milhões.

Para esses investimentos, a Itaúsa considerou o custo de capital de 13,5% e estima retorno de dois a três pontos acima desse capital ajustado a risco para os novos negócios. Também concentra esforços para levar as empresas já consolidadas do portfólio da Companhia a elevar seus patamares de rentabilidade e criação de valor para os acionistas.

Racional dos investimentos realizados em 2017

Nova Transportadora do Sudeste

  • Investimento total: R$ 1,4 bilhão.
  • Distribuições recebidas: dividendos/JCP de R$ 172 milhões (líquidos) e juros das debêntures de R$ 31 milhões (líquidos).
  • Opera mais de 2.000 quilômetros de gasodutos por meio de cinco contratos com cláusulas de ship or pay celebrados com a Petrobras.
  • Doze gasodutos transportam gás para distribuidoras e usinas térmicas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, região responsável pela geração de grande parte do PIB do País.
  • Possui autorização para operar gasodutos até 2041.
  • Perfil de forte geração de caixa, com boa previsibilidade e retornos atrativos.
  • Modelo simples de operação e regulação de base de ativo já conhecida e bem-sucedida.
  • Plataforma para expansão em um setor no início da desintermediação, com grande potencial de crescimento.
  • Sócios com experiência em investimentos de infraestrutura e operação de concessões no Brasil.

R$ 1,7 bilhão

Valor do investimento feito na Alpargatas – maior empresa de calçados e vestuários do Brasil –, da qual a Itaúsa passou a deter participação de cerca de 27% no capital

Alpargatas

Conteúdo anterior Próximo conteúdo